BNB quer liberar R$ 6 bi até o fim do ano em crédito

11 de Outubro de 2012

Com R$ 6 bilhões em conta, o Banco do Nordeste (BNB) imprime ritmo novo para fazer chegar ao mercado, ao setor produtivo nordestino, a “sobra de caixa” dos R$ 11,5 bilhões do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), que ainda não foram aplicados neste ano.

Envolta em problemas administrativos que redundaram na substituição de gerentes de agências e até da própria presidência, em junho passado, a instituição financiou apenas R$ 5,5 bilhões do FNE, em 2012.

“Temos que fazer rodar o credito em torno de R$ 2 bilhões, por mês, até o fim do ano, totalizando R$ 6 bilhões”, destacou o novo presidente do BNB, Ary Joel Lanzarin. Desde sua posse, há pouco mais de um mês, em 6 de setembro último, o executivo catarinense vem adotando mudanças operacionais no banco, como forma de dar maior celeridade às operações de concessão de crédito.

Meta

“Estamos operando todo dia. Somente no mês passado, nós fizemos cerca de R$ 1,5 bilhão, em novos financiamentos. E agora, em outubro, novembro e dezembro, pretendemos liberar mais R$ 6 bilhões, somente de recursos do FNE”, sinalizou Lanzarin.

Visita

Acompanhado de Stélio Gama Lyra e Luiz Carlos Everton de Farias, respectivamente, diretores de Gestão do Desenvolvimento e de Administração de Recursos de Terceiros, o novo presidente do BNB foi recepcionado ontem, em almoço, pelo chanceler Airton Queiroz, e pelos diretores do Grupo Edson Queiroz, Igor Queiroz e Edson Queiroz Neto, na holding do grupo. Em seguida, a comitiva visitou a redação do Diário do Nordeste.

Conforme explicou Lanzarin, a meta traçada pela direção vem sendo tocada e não será difícil de atingi-la. Segundo ele, esses recursos estão pré-definidos, porque as cartas consultas já estariam em análise na instituição. “Essas propostas já estão dentro do banco, o que não terá dificuldade nenhuma (de fazer chegar até o setor produtivo)”, declarou o executivo.

Prioridades

“Temos que atender pequenos empreendedores rurais do semi-árido, que estão carentes desses recursos, os agricultores inscritos no Pronaf, os microempresários e todos os empreendimentos que precisam de recursos para fazer girar os seus negócios, no Interior e nas capitais da região”, pontuou Lanzarin.

Mudanças

O presidente da instituição falou ainda, sobre a redução na velocidade da concessão do crédito no BNB, verificada nos últimos meses. Segundo ele, a retração ocorreu por uma conjugação de fatores que, conforme disse, estão sendo tratados sob todos os aspectos administrativos, como forma de se melhorar a performance da liberação do crédito.

Entre esses aspectos, está a identificação de operações irregulares e suspeitas de fraudes, praticadas por clientes e empresas. Como consequência das medidas adotadas, incluindo auditorias internas, transferência, exoneração e até demissão de funcionários, grande parte do corpo técnico do banco passou a analisar as operações com maior acuidade, o que terminou por reduzir o ritmo na aprovação e concessão de financiamentos.

“São várias situações que podem gerar atrasos, mas nós já identificamos todas elas, que vêm sendo tratadas adequadamente”, garantiu. “Estamos aperfeiçoando a nossa metodologia e a nossa esteira de concessão de crédito, para sermos mais céleres na concessão do crédito”, acrescentou.

Mudanças ocorreram também nas funções de comando do banco. As superintendências estaduais foram trocadas. Para a do Ceará, foi designado, na última quinta-feira, João Robério Pereira de Messias, que assume no lugar de Rivônio Morais.

Além de readequações no modelo de contratação, acompanhamento e gestão do crédito, o banco aumentou a pressão sobre os inadimplentes e está, inclusive, cobrando na Justiça o ressarcimento dos recursos relativos a empréstimos concedidos e inadimplidos; não pagos.

Concursados

O presidente do BNB reiterou, ontem, que 265 novos concursados serão convocados ainda neste ano. Grande parte será lotada nas 25 novas agências, que serão abertas em 2012.

“À medida que forem sendo inauguradas as agências, eles começarão a tomar posse”, garantiu Ary Lanzarin.

Para 2013, estão previstas inaugurações de mais 83 unidades, distribuídas em todo a região Nordeste.

CARLOS EUGÊNIO
REPÓRTER

Fonte: Diário do Nordeste

http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1191442