Notícias Veiculadas

Geração distribuída ultrapassa 20 mil conexões, afirma Aneel

05 de Fevereiro de 2018

Classe residencial lidera número de consumidores-geradores com 16,2 mil ligações; fonte mais utilizada é a solar

O número de conexões de micro e minigeração de energia chegou a mais de 20 mil instalações, com atendimento a 30 mil unidades consumidoras, segundo informações da Aneel divulgadas nesta quarta-feira, 24 de janeiro. Os números representam uma potência instalada de 247,30 MW – o suficiente para atender 367 mil residências.

De acordo com os dados da Agência, a classe de consumo residencial é responsável por 58,71% de conexões, seguida da classe comercial com 35,25% das instalações.

A fonte mais utilizada pelos consumidores-geradores é a solar com 20.666 adesões, seguida de termelétrica a biomassa ou biogás, com 76 instalações. Minas Gerais permanece como o estado com mais conexões, 4.484, seguido de São Paulo, 4.038 e Rio Grande do Sul, com 2.497.

Os três estados com mais conexões aderiram ao Convênio ICMS 16/2015 do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), que isenta o pagamento de tributo estadual (ICMS) sobre o excedente de energia elétrica gerada por sistemas de geração distribuída.

A geração de energia pelos próprios consumidores tornou-se possível a partir da Resolução Normativa da Aneel nº 482 de 2012. A norma estabelece as condições gerais para o acesso aos sistemas de distribuição de energia elétrica e cria o sistema de compensação de energia elétrica, que permite ao consumidor instalar pequenos geradores em sua unidade consumidora e trocar energia com a distribuidora local.

A resolução autoriza o uso de qualquer fonte renovável, além da cogeração qualificada, denominando-se microgeração distribuída a central geradora com potência instalada de até 75 quilowatts (kW) e minigeração distribuída – aquela com potência acima de 75 kW e menor ou igual a 5 MW (sendo 3 MW para a fonte hídrica), conectadas à rede de distribuição por meio de instalações de unidades consumidoras.

Quando a quantidade de energia gerada em determinado mês for superior à consumida naquele período, o cliente fica com créditos que podem ser utilizados para diminuir a fatura dos meses seguintes. O prazo de validade dos créditos é de 60 meses e podem ser utilizados também para abater o consumo de unidades consumidoras do mesmo titular situadas em outro local, desde que na área de atendimento de uma mesma distribuidora. Esse tipo de utilização dos créditos é chamado de “autoconsumo remoto”.

No caso dos condomínios, construções com múltiplas unidades consumidoras, a energia gerada pode ser repartida entre os empreendimentos em porcentagens definidas pelos próprios consumidores. Existe ainda a figura da “geração compartilhada”, que possibilita diversos interessados se unirem em um consórcio ou em uma cooperativa, instalarem uma micro ou minigeração distribuída e utilizarem a energia gerada para redução das faturas dos consorciados ou cooperados.

Com relação aos procedimentos necessários para conectar a geração distribuída à rede da concessionária, foram instituídos formulários padrão para realização da solicitação de acesso pelo consumidor.  O prazo total para a companhia conectar usinas de até 75 kW é de até 34 dias. Desde janeiro do ano passado, os clientes podem fazer a solicitação e acompanhar o andamento de seu pedido junto à distribuidora pela internet.

Box 116: parque de fazer negócios

17 de Janeiro de 2018

O conceito é inovador, o projeto é pioneiro e a localização é estratégica. O Box 116 surgiu para colocar o Ceará em sintonia com a concepção logisticamente mais avançada e adequada a um parque industrial e de negócios

Claro inaugura complexo solar fotovoltaico e cria a maior operação dedicada a uma empresa no país

16 de Janeiro de 2018

A Claro Brasil, que engloba as marcas Claro, Embratel e Net, acaba de inaugurar o primeiro complexo de usinas solares e criar a maior operação solar dedicada a uma empresa no País.

O complexo fica nas cidades de Várzea de Palmas e Buritizeiro, em Minas Gerais, ocupa uma área de 45 hectares e gerará energia suficiente para suprir uma cidade de 250 mil habitantes.

Há um ano, a tele fez um projeto-piloto em Várzea de Palmas, com um terço do atual espaço. A iniciativa é chamada de Programa A Energia da Claro e prevê o uso de energia limpa, obtida por meio de geração distribuída (que é toda produção de energia elétrica proveniente de empresas concessionárias, permissionárias ou autorizadas que são conectados diretamente ao sistema elétrico de distribuição do próprio comprador, ou seja, autossuficiência) em todas as suas operações e instalações no Brasil.

A energia usada pela Claro virá de várias fontes: solar, eólica, hidrelétrica, biogás e cogeração qualificada. A meta é cobrir 80% da energia usada em todo o território nacional, equivalente a mais de 600 mil MWh/ano. Esse primeiro complexo de usinas em Minas gerará 35 MWh/ano.

Segundo a operadora, para 2018 estão previstas as inaugurações de mais 20 parques solares, quatro parques eólicos, seis usinas de biogás e três de cogeração qualificada. A segunda fase do projeto, também a ser implantada no ano que vem, incorporará ao programa a energia gerada por pequenas centrais hidrelétricas (as CGH).

Essas informações sobre a produção de energia para uso próprio foram comunicadas pelo presidente do Grupo América Móvil Brasil, José Félix, nesta quinta-feira, 14, em São Paulo.

“O setor de telecomunicações teve um ano desafiador. Pelo momento político, pela transformação na indústria, com a automação e a inteligência artificial, por conta do consumidor, que mudou, e também pela regulamentação pouco flexível”, resumiu o executivo, ao comentar o período.

“O crescimento ainda lento do País foi agravado com o quadro regulatório pouco flexível, que não se ajusta com o ritmo das mudanças”, criticou Félix. O presidente afirmou que, nos últimos três anos, foram investidos R$ 30 bilhões pelas três marcas no País.

Consolidação das marcas
Este ano representa a consolidação da união da Net, Claro e Embratel sob a marca Claro Brasil, disse o presidente do grupo. Esse processo vem desde 2011, quando as três marcas lançaram os primeiros pacotes convergentes.

Também participaram do evento os CEOs das unidades residencial (Net), Daniel Barros; mercado pessoal (Claro), Paulo Cesar Teixeira; e empresarial (Embratel), José Formoso. Os executivos chamaram a atenção para a evolução tecnológica e expansão da base de suas respectivas áreas.

A Net fecha o ano com 9,5 milhões de assinantes e um bilhão de streamings na plataforma Now. Em termos de banda larga, são 8,5 milhões para conexões fixas e 52 milhões de usuários conectados por internet móvel.

Segundo Barros, CEO da Net, o consumo de serviços de streaming multitela chegou a 40 horas semanais por cliente, em média. A unidade residencial acaba de anunciar, também, o Net SmartHome, que oferece serviços de monitoramento e automação residencial, disponível inicialmente para São paulo.

Na unidade empresaria, o CEO Formoso destaca que as soluções de mobilidade e de internet das coisas (IoT) da Embratel já estão instaladas em 600 mil veículos no Brasil, o que dá à operadora 90% de participação nesse segmento. São mais de cinco milhões de dispositivos conectados, no total.

Esses veículos já saem de fábrica com a tecnologia de IoT embarcada pela Embratel e dispõem de funções como segurança e gerenciamento. A IoT também tem aplicações para a indústria, como elevadores, e cidades, para sistemas de medição de água e energia elétrica, por exemplo.

Prazo para solicitar isenção do AFRMM termina em 31 de dezembro

02 de Julho de 2015

A solicitação pode ser feita por pessoas jurídicas que importam e exportam, cujos empreendimentos encontram-se na região Nordeste, norte de Minas Gerais e norte do Espírito Santo.

Por R$ 1 bilhão, empresa alemã quer construir estaleiro em Camocim

15 de Outubro de 2014

As sócias do empreendimento constituirão empresa no Brasil. Outro equipamento em Camocim está em negociação

Ypê lança pedra fundamental de fábrica em Pacajus

10 de Junho de 2014

As obras da fábrica e do centro de distribuição devem começar dentro de 90 dias. Serão cerca de 370 empregos diretos e 1.500 indiretos. Executivos da empresa estiveram ontem no Município para lançar pedra fundamenta

Maior fabricante de caixas d’água se instalará no CE

29 de Abril de 2014

Fortlev, líder no mercado nacional em seu segmento, pretende fabricar caixas d’água, cisternas, tanques, eletroduto flexível corrugado, tubos de PVC (usados para escoamento de água e esgoto), conexões e fossas sépticas, dentre outros, no município de Pacajus

Adece prospecta novas empresas

26 de Fevereiro de 2014

Evento foi promovido pelo Grupo Flowinn, em parceria com Pentagonal Consultoria e Investimentos

Diretor de Infraestrutura da Adece participa de missão empresarial na Europa

20 de Fevereiro de 2014

O Grupo Flowinn em parceria com Pentagonal Consultoria e Investimentos (Fortaleza – Brasil) promove o encontro “Flow to Brasil – estratégias de negócio no Nordeste Brasileiro – Ceará”, que se realiza nos dias 20 e 21 de Fevereiro, em Lisboa

Estado pode ter R$ 5,25 bi em investimentos privados

14 de Janeiro de 2014

O montante é o maior dos últimos quatro anos e refere-se à assinatura de 82 pleitos com o governo estadual